sobre nós

IMBISA



IMBISA (Associação Inter- Regional dos Bispos Católicos da Africa Austral) é uma Associação de Conferências Episcopais de Africa Austral. É composta por 9 paises membros, que constituem 6 Conferências Episcopais nomeadamente: As Conferências Episcopais de Angola e S Tome e Principe, (CEAST),Lesotho (LCBC), Moçambique (CEM), Namibia (NCBC), Africa do Sul que inclui o Botswana e Swazilandia (SACBC) e Zimbabwe (ZCBC). A IMBISA foi fundada em Abril de 1975 e composta por cerca de 90 Arquidioceses e Dioceses e com mais de uma centena de bispos entre emeritus e titulares. A região é composta de dois grupos linguisticos o português e inglês. O objective principal da IMBISA é promover o espirito de comunhão através da partilha das melhores práticas de cada pais membro. O Secretariado da IMBISA est á em Harare e tem três Departamentos : Assuntos Sociais ( Justiça e Paz, Migração e Comunicação Social); Pastoral Biblica e Reflexão Teolóica. Importa referir a existência do sector das Traduções bem como o Financeiro. Os Departamentos tem o mandadto de ser orgãos de ligação e colaboração entre as Conferências membros da IMBISA, com vista a coordenar as actividades a nivel regional e apoiar as as Conferências Nacionais que precisem de aconselhamento, assessoria, formação e que representam a IMBISA em diferentes fóruns.

BREVE HISTORIAL



A IMBISA surgiu do desejo dos Bispos de discutir assuntos de interesse comum e actualizarem-se no que diz respeito à evolução da situação nos seus paises. Após a reunião informal durante o Sinodo Universal dos Bispos em Roma, em 1974, seguiu-se uma outra reunião dos delegados dos Bispos dos paises da Africa Austral realizada em Pretória, em Abril de 1975. Foi ai que se deu do nascimento da IMBISA. Iniciaalmente era conhecida como Congregação Inter Territorial dos Bispos da Africa Austral. Posteriormente o nome foi alterado e passou a designer-se por Associação Inter- Regional dos Bispos Católicos da Africa Austral (IMBISA), quando foi aprovada a solicitação da sua Constituição. Isto foi feito para distinguir IMBISA das Conferências Episcopais Nacionais e seus equivalentes que eram abordadas com o uso do termo territorial. A Constituição da IMBISA foi aprovada numa Assembleia que teve lugar no Lesotho em 1978 e em 1980 foi criado o primeiro Secretariado da IMBISA em Manzini, Swazilandia. Mais Tarde foi transferido para Harare, Zimbabwe. A existência da IMBISA foi resultado das novas necessidades da Igreja na região e da visão profetica do Concilio Vaticano II (1962-1965) que propos uma nova era do ministério colegial na Igreja Católica como resultado da nova era de mudança em que o mundo e a Igreja se encontravam. As Instituiçõ e organizações seculars já tinham provado a eficácia da acção corporative. O Decreto sobre o Papel do Bispo na Igreja , do Concilio Vaticano II, Christus Dominus cap3, pag 37 declara que “hoje em dia, é muitas vezes impossivel, especialmente para os Bispos, exercer o seu Oficio adequadamente e de uma forma proficua sem que estabeleçam uma interacção e cooperação com outros Bispos…” este Sagrado Sinodo defende que seria muito útil se em todas as partes do mundo , os Bispos de cada pais ou região se reunissem regularmente, para que através da partilha de sua sabedoria , experiencia e troca de impresses pudessem juntos formular um programa que alcançasse o bem comum da Igreja.

MEMBROS


São membros da IMBISA todas as Conferências Episcopais da Africa Austral. Na Acta do primeiro encontro da IMBISA lê-se: “O Presidente anfitrião explicou que não foram convidadas as Conferências Episcopais, mas sim os paises com vista a obter tanta informação quanto possivel e uma vasta agama de opiniões’. Assim sendo a Comissão Organizadora decidiu que os participantes da Segunda Assembleia Geral fossem Bispos ou seus prepresentantes devidamente delegados por cada Pais membro.
Em reuniões subsequentes, a ênfase tem sido sobre os paises membros mais do que sobre as Conferências Episcopais Membros. Inicialmente até 1984 os Membros reuniam-se em Assembleias gerais e posteriormente foi introduzida a Assembleia Plenária como a plataforma principal para a formulação de politicas.